Month: October 2013

Campanha pró-birding no Amazonas

Beija-flor-de-garganta-verde – Foto: Zé Edu Camargo

A Amazônia é um destino dos sonhos de qualquer observador de aves. No entanto, ainda são poucos os lugares, em toda a imensa região, com estrutura para receber turistas que querem passarinhar. Por isso, é mais do que bem-vinda a iniciativa do portal de crowdfunding (financiamento colaborativo) Garupa, que pretende arrecadar fundos para estruturar o birdwatching na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Rio Negro, na região de Manaus. A Vila do Tumbira é o ponto focal do projeto. Ali o potencial para o birding é imenso: são quilômetros e mais quilômetros quadrados de mata intocada, com diversos perfis – e muitas aves. A RDS Rio Negro é uma das áreas de influência da FAS (Fundação Amazonas Sustentável), projeto que tem o apoio de grandes empresas, como a Samsung.

No Tumbira, a ideia do projeto de crowdfunding é estruturar a pousada local e treinar guias locais para acompanhar os observadores de aves. A Vila fica a pouco tempo de barco de Manaus, e tem potencial para se tornar um destino fantástico para o birding (e também para a observação de flora e fauna da Amazônia). Para saber mais e entender as vantagens de participar, você pode acessar o Portal Garupa. Mas vai logo, porque a campanha se encerra no dia 30 de novembro.

Tumbira – Foto: Paula Arantes

 

Workshop de fotografia de aves com João Quental

Formando observadores mirins

Se você tem um mínimo interesse em observação de aves, é muito provável que já tenha ouvido falar no nome João Quental. Um dos melhores fotógrafos de aves do Brasil, ele não para. É uma espécie de Indiana Jones: concilia a carreira de professor com aventuras pelos quatro cantos do país em busca de aves – já fotografou mais de mil espécies da nossa avifauna. Em alguns raros momentos do ano, as duas vocações de João coincidem – quando o ensino e a fotografia estão juntos, nos workshops que ele ministra. O próximo, imperdível, ocorre agora em outubro (com a presença do criador do Wikiaves, Reinaldo Guedes). A pedido do blog, o fotógrafo escreveu um texto sobre a dinâmica do curso. E, de quebra, você pode acompanhar algumas fotos dos workshops – e suas aves maravilhosas – por aqui.

Passos no paraíso

Por João Quental

A primeira vez em que ouvi falar sobre a Pousada Paraíso, em Petrópolis, foi através de um dos mais antigos sócios do Clube de Observadores de Aves do Rio de Janeiro (COA-RJ), Dagoberto Chagas. Isso foi há mais ou menos 7 anos, quando ele colocou uma mensagem, no grupo de discussões do clube, louvando as aves e a acolhida da pousada… Tanto bastou para que eu agendasse uma visita, no final de 2006, para conhecer o lugar e, se possível, fotografar algumas aves.

No entanto, a viagem foi um fracasso total. O Bernardo e a Mariana, casal que trabalha na administração da pousada, junto com a Vanda e o Roberto, pais da Mariana, adoram dizer que não entendem como tive coragem de voltar lá mais uma vez. Caiu uma chuva torrencial durante os cinco dias em que fiquei por lá, a estrada ficou interrompida por vários deslizamentos de terra, ficamos sem luz e – o pior de tudo! – a única foto que fiz foi de um pobre tico-tico completamente encharcado…

Mesmo assim, apesar da experiência diluviana, deu para perceber que o lugar era especial. Pelas aves, pelas trilhas, pelo conforto da Pousada, mas, principalmente, pela amizade e pela animação e o investimento da pousada na prática da observação e da fotografia de aves. Qualquer pessoa que se interessa pelo birdwatching no Brasil sabe como é raro encontrar um lugar onde a prática seja valorizada, com uma lista atualizada das aves do lugar, café-da-manhã cedo, trilhas bem marcadas, comedouros bem abastecidos…

Para surgir a ideia de fazer lá um workshop de fotografia foi apenas um passo. Desde 2007, já foram 10 (o próximo, em outubro, será o décimo-primeiro), com mais de 100 participantes no total. E, nos últimos anos, contamos com a parceria de ilustres convidados, como Fernando Pacheco, Ricardo Gagliardi, Henrique Rajão, Daniel e Gabriel Mello e, na próxima edição, Reinaldo Guedes.

Na verdade, creio que as aulas e palestras são mais uma desculpa para encontrarmos pessoas que gostam de fotografar aves, discutir o equipamento, trocar experiências e dicas de viagem, e, por que não, comer bem e passar um agradável final de semana na serra de Petrópolis…

Informações sobre o próximo workshop podem ser solicitadas nos e-mails

jquental@gmail.com ou paraiso@pousadaparaiso.com.br

Um dos alunos do curso de fotografia de aves – Foto: João Quental

Tiê-de-topete – Foto: João Quental