observadores de aves

2017 vai voar

captura-de-tela-2016-12-07-as-19-15-54

São vários os fatores que apontam para um crescimento da observação de aves como atividade no país. Pouco a pouco surgem guias, destinos, hotéis com estrutura – e a cada dias mais gente posta listas, fotos e sons em plataformas como Wikiaves, E-bird ou Táxeus. Mas há um outro aspecto que leva à mesma ideia: a expansão dos eventos de observação por todo o país. O Avistar (principal evento do meio no Brasil) ganhou crias regionais. O #vempassarinhar, conceito que une observação de aves e ciência cidadã numa divertida passarinhada em grupo (e que nasceu no Observatório de Aves do Instituto Butantan) hoje se espalha em parques e áreas verdes de diversas cidades. E mesmo o conceito de Big Day pegou por aqui – no ano que vem vamos para a terceira edição do Big Day Brasil. Além disso, o tempo todo, observadores se unem para passarinhar, para trocar experiências, para criar atividades divertidas com as crianças.

Para tentar unir essas atividades (ou parte delas) em um único calendário, surge agora uma plataforma colaborativa online- uma iniciativa de várias entidades em conjunto. A ideia é simples: qualquer um pode cadastrar seu evento neste Link aqui. Assim os observadores podem se preparar e agendar a participação naqueles que consideram mais importantes ou interessantes. A plataforma foi lançada há poucos dias, mas já dá pra ver que 2017 promete. São dezenas de eventos programados. Que tal dar uma olhadinha e já ir se preparando para o ano novo?

Quer observar aves e ajudar a Ciência? Sim, você pode!

Batuiruçu-de-axila-preta, ave limícola e migratória – Foto: Zé Edu Camargo

Todo observador de aves pode dar sua contribuição à ornitologia. Compartilhar uma foto, um som ou um registro de observação em uma plataforma online (como wikiaves, ebird, táxeus, xeno-canto tec) já é um bom passo. Esses registros ajudam os pesquisadores a definir melhor migrações e outros comportamentos, por exemplo. Algo que demandava um esforço enorme de pesquisa há alguns anos hoje está ao alcance de alguns cliques. O problema é que nem todo observador faz isso de maneira regular. Por isso surgem algumas iniciativas para estimular esse tipo de colaboração.

Durante o Avistar Brasil, a Save (Sociedade para a Conservação das Aves do Brasil) irá cadastrar observadores que se propõem a registrar aves limícolas (aquelas espécies identificadas com ambientes à beira-d’água, muitas delas migratórias, como maçaricos e batuíras). Quem passar pelo estande de número 26 pode fazer a inscrição e ganhar um kit de boas-vindas. Depois é só fazer a contagem sempre que possível e submeter ao site eBird (ebird.org/content/brasil). A ideia é ajudar os pesquisadores a definirem ações para a conservação de aves e dos ambientes onde elas ocorrem. O Avistar Brasil ocorre de 20 a 22 de maio (sexta a domingo) no Instituto Butantan, em São Paulo.

Ambientes como estuários de rios, represas, manguezais e praias são muito procurados por aves limícolas – Foto: Zé Edu Camargo

Dia do Observador de Aves: motivos para se preparar – e celebrar também

Jandaias-de-testa-vermelha – Foto: Zé Edu Camargo

Em 28 de abril comemora-se Dia do Observador de Aves por aqui. Os observadores formam uma comunidade que cresce a cada dia e hoje já movimenta o turismo de várias regiões pelo Brasil. Nos últimos anos o birdwatching (ou birding, ou observação de aves) ganhou um grande impulso. Esse destaque pode ser avaliado pelo grande sucesso do Avistar Brasil, um evento que este ano ocupa novamente o Instituto Butantan, em São Paulo, entre os dias 20 e 22 de maio.

O Avistar é um misto de feira, congresso e palco de exibições, com oficinas, palestras e atividades para adultos e crianças (confira a programação em http://www.avistarbrasil.com.br/). Um pouco antes disso, outro evento também promete repetir o sucesso de 2015 – o Global Big Day, um dia inteiro dedicado à observação de aves em todo o planeta, organizado pelo Cornell Lab of Ornithology e apoiado por várias entidades brasileiras, como a Save Brasil e o Observatório de Aves do Instituto Butantan (veja mais em http://ebird.org/content/brasil/noticia/global-big-day-participe/). Portanto, o Dia do Observador de Aves é em abril, mas o mês de maio também promete muita diversão e comemoração. Convém já ir se preparando.

Outubro é o mês de Big Day Brasil. Você já está preparado?

Gavião-caramujeiro – Foto: Zé Edu Camargo

Observadores de aves de todo o país estão se organizando para o grande dia. Birders do Chuí ao Caburaí irão a campo durante as 24h do dia 10 de outubro com o objetivo de identificar o maior número de espécies de aves possível. Uma iniciativa conjunta de Save Brasil, Observatório de Aves do Instituto Butantan, The Cornell Lab of Ornithology e Avistar Brasil, o Big Day é um grande acontecimento. Os organizadores têm o objetivo de mapear 1700 espécies (das quase 2 mil já registradas por aqui), através de listas submetidas em sites como o eBird (ebird.org) ou Táxeus (taxeus.com.br).

Você também pode participar. Chame seus amigos e faça uma passarinhada no dia 10 de outubro, depois submeta a lista de aves observadas no dia num destes sites até o dia 15 de outubro. Não sabe como preparar/submeter sua lista? Uma página no eBird explica tudinho tim-tim por tim-tim, basta clicar aqui: http://bit.ly/1gu8T0O. E para saber mais sobre o Big Day você pode acessar a página do evento no facebook: https://www.facebook.com/events/666791770088188/. Participe!

Observadores de aves unidos no Global Big Day

Por uma iniciativa do Laboratório de Ornitologia da Universidade Cornell (EUA), birders de todo o mundo vão fazer um esforço de um dia para mapear as espécies de aves do planeta. É o Global Big Day! A ideia é ir a campo no próximo sábado (9 de maio) e depois submeter a lista das aves observadas. Para isso todos devem usar o site www.ebird.org.

No Brasil há um grupo ajudando a organizar o evento – o objetivo por aqui é garantir a presença do maior número possível de cidades, em todos os biomas. Você pode conseguir mais informações no grupo do Facebook.

Os resultados desse esforço serão usados para pesquisas em todo o mundo. Como diz o lema do evento, toda ave conta. Vamos lá?

Observador de aves na Serra da Canastra, MG – Foto: Rita Barreto