papagaio charão

Livro primoroso reúne todos os papagaios, araras e periquitos do Brasil

“Enquanto andávamos nessa mata a cortar lenha, atravessavam alguns papagaios essas árvores; verdes uns, e pardos, outros, grandes e pequenos, de sorte que me parece que haverá muitos nesta terra”.

O trecho aí em cima vem da carta de Pero Vaz de Caminha, primeiro documento escrito sobre o Brasil, que já trazia algumas menções aos papagaios e periquitos. E, ao longo de nossa história, do Zé Carioca ao filme Rio, eles sempre estiveram associados à nossa imagem. Mas, apesar desta presença marcante, não eram abundantes os estudos e fontes de informação sobre as quase 100 espécies de psitacídeos que ocorrem em território nacional. Um parêntese: psitacídeo é uma palavra estranha mas de uso comum entre os biólogos para indicar papagaios e periquitos, em uma referência à família Psittacidae, que inclui nossos papagaios, periquitos, maitacas, araras, tiribas e maracanãs. Agora, o livro (mas o mais adequado seria dizer livrão, pela sua importância) Terra Papagalli vem cobrir com maestria muitas lacunas no nosso conhecimento destas aves. Obra de referência, mas que tem no visual e no cuidado gráfico um elemento fundamental, a obra traz as ilustrações do artista Eduardo Brettas (veja no final do post) em perfeita sintonia com o texto do pesquisador Luis Fabio Silveira, curador da coleção de ornitologia do Museu de Zoologia da USP. Um livro para apreciar como obra de arte e consultar como obra de referência. O lançamento ocorre no dia 9 de dezembro em São Paulo. Mais informações no book trailer:

Ilustração de Eduardo Brettas para o livro Terra Papagalli

Passarinhadas em maio no Sudeste, Nordeste e Sul

Pica-pau-dourado – Foto Zé Edu Camargo

Aos poucos o turismo de observação vai se firmando e ganhando corpo no Brasil. Além de hotéis especializados, já começam a surgir roteiros de fim de semana ou nos feriados prolongados em bons destinos de birding. No começo de maio há boas opções em três regiões do Brasil. No alto da Serra da Mantiqueira, a RPPN Alto Montana tem muitas espécies raras. É uma boa opção para quem está em São Paulo, no Rio ou em Minas. No Sul, a migração do papagaio-charão e as espécies endêmicas de Mata Atlântica são as atrações de um roteiro em Urupema, Santa Catarina. E na Chapada do Araripe (CE) as aves da caatinga são a grande atração – e também a chance de ver o raro e ameaçado soldadinho-do-araripe. As informações sobre os roteiros estão nos cartazes aí embaixo.

Um festival diferente

No começo do outono, o céu de cidades da serra catarinense é invadido. O lindo papagaio-charão (Amazona pretrei) chega em busca de alimento, principalmente do pinhão, fruto da araucária. Ameaçada de extinção, a espécie forma bandos que podem ser admirados pelos observadores. Em função dele, a cidade de Urupema abriga uma festa muito interessante, que promete reunir birdwatchers de todo o país. É o Festival do Papagaio-charão, nos dias 28, 29 e 30 de abril. Uma iniciativa do fotógrafo Dario Lins, o festival terá uma série de atividades ligadas à observação, como palestras de especielistas, como o fotógrafo João Quental e o ornitólogo Adrian Rupp.

Papagaio-charão em bando. Foto de Dario Lins.